E você, acredita no diabo

Nós, bruxas, não acreditamos. Não acreditamos no fogo eterno do inferno.

Acreditamos que o mal existe. E bem criado por nós mesmos. E  por espíritos muito mal resolvidos, cheios de mágoas e rancor. São eles que bagunçam a nossa vida.

 

Deus Cornífero

Deus Cornífero

A figura do Diabo, tal qual a entendemos, é proveniente da Idade Média, quando a Igreja Católica usou a imagem do Deus Cornífero (Divindade Celta) para representá-lo, com o intuito de que os fiéis o temessem quando o olhassem. (A figura do Deus grego Pã também serviu de inspiração). A ideia de que o diabo é uma representação do mal ficou gravada em nossa memória e a ela nos referimos atualmente.

Deus Pã

Deus Pã

                                                                                                               

Em sua forma grega, diabolos, literalmente significa “o que tira de um lado e de outro, que desune, separa, semeia a discórdia”. Em seu sentido original, o Diabo nada possui de maléfico. O Daimôn grego significava um poder divino, o espírito protetor ligado ao homem e aos elementos da natureza.

No imaginário medieval, os rituais pagãos que eram realizados  em prol das divindades e dos espíritos presentes na natureza, eram rituais nos quais se prestava culto ao Diabo, em oposição a Deus.

deuses

Antigos deuses cultuados vários séculos a.C. foram considerados satânicos.  Assim, o sentido pejorativo da palavra Diabo foi ganhando força e tudo o que pertubava o ordem estabelecida na época era atribuída ao Demônio e ao Mal.

Da mesma forma, a Igreja medieval demonizou as religiões dos ameríndios e dos negros africanos, sendo esses exemplos de como o cristianismo interage com as religiões concorrentes.

Na tradução bíblica do hebraico para o grego foi usado o termo diabolos.

Nela, encontramos o Diabo na figura de um anjo Querubim, Lúcifer (Anjo da Luz), que é expulso do reino celestial após tentar tomar o trono de Deus.

Podemos perceber o início da luta do Bem (Deus) contra o Mal (Diabo), já que Deus o mandou reinar no inferno, onde vamos encontrá-lo como o Anjo Caído.

Essa ferramenta de poder foi usada pela Igreja Católica após a queda de Roma para tornar maléfica outras religiões , manter o domínio sobre os povos e tentar unificar a fé.

O Diabo foi, então, personificado como sinônimo dos vícios, pecados e de todo o sofrimento do mundo.

 

Diabo

 

A crença de que o Diabo é também um invasor de corpos e, como tal, deve ser expulso, foi muito difundida e constitui uma visão moderna do mesmo.

A primeira arma do cristianismo  contra o paganismo foi o exorcismo, prática usada com frequência em nossos dias por igrejas cristãs que proliferam com extrema rapidez. A atual Igreja Católica o usa apenas em casos comprovados por ela, mas são raros.

Na verdade, não devemos dar ao Diabo todo o crédito que lhe é atribuído. O Mal se aproxima de locais e de pessoas que lhe dão forças. Se não permitimos, ele não se aproxima. 

             Viva na luz e saia das sombras.